Entenda o Projeto

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria

Quando o tempo passa

Aquela vontade que tinha de resolver o mundo torna-se preocupação de saber que, mesmo com um exército junto, não há santo que sane tal situação.

As paixões, vividas com intensidade e voracidade (todo namorico era motivo de querer casar) deu lugar as vontades pontuais de gozo e posse, onde qualquer sentimento mais forte vira motivo para se afastar. (“Não é você, sou eu…”)

As conquistas se tornaram maiores – carro, casa, viagens -, assim como os medos. O bicho papão é mais real hoje do que antes, quando ria de medo – não sofria.  
A ansiedade vira gastrite;

A vontade vem planejada – pra não desgastar.
O sonho tem limite;

Pouca coisa pra aprender, tanta coisa pra entregar.

O frio na barriga vira chatice;

O sono, cada vez mais, demora a chegar. 

Qualquer desafio vira perigo de falhar;

Tudo vira motivo para embriagar.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria

Capitulo 084

Alguém disse-me, certo dia: “Primeiro você, depois namorada, amigos, família…”. Outro próximo, dias depois: “Coloque-se à frente de tudo e todos e toda decisão terá a mão do dono”

Toda lógica tem sua razão e em qualquer razão sopra emoção. Se nasce o sol gira o girassol; brota o fruto de se regar o solo.

A verdade pensada não pode ser dita. O caminho traçado não foi planejado. Também ontem pensou-se no amanhã. Assim como o amanhã refletirá do hoje.

Tanta ladainha tem motivo: só nas horas de turbulência me fortifico. Enraízo crenças, evoluo ideias, exorcizo todo ruído que abala novas metas.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria

Capitulo 083

Aventurar-se numa paixão
É similar a escolha da próxima viagem:
Procuro em cada destino a motivação
Para novas descobertas, belezas, paisagens

Se amor é porto seguro
Decido por vários deles ancorar
Prefiro tudo aberto do que um muro
Que não me deixe olhar o mar

Toda vez que saio a navegar
É a certeza de que vou voltar

Sopra o vento na janela,
uma onda quebra – sem pensar
Bate a porta quando chega
que estou a te esperar
Canta a música que te fiz
mesmo que tenha medo de desafinar
Volta logo mas sem pressa
Já que o mundo continua a girar

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria

Certo

E ai, você vai atrás do seu amor
Ou espera ele chegar?

O seu amor é teu
Ou de quem o coração gostar?

Parece que foi ontem
Que resolvi tentar apaixonar

E depois de algum tanto tempo
Questiono ser preciso amar

Mesmo após quase tudo
(pois o tudo é muito pro pouco que passou)
A dúvida não deixa do certo minar

Quando penso naquilo que não aparece
Volta tudo que já aconteceu e se fez passar

Por fim, planejo todo futuro
Naquilo que não consigo nem mirar

Se certo, cego ou louco não sei
Mas pelo menos me faz respirar.

1 comentário

Arquivado em Sem-categoria

Capítulo 082

O vai e vem de pessoas em nossas vidas,

assim como a brisa na beira do mar
como as notas na carteira do trabalhador
como as nuvens que teimam em esconder o luar
ou o marinheiro onde cada porto é um novo amor.

O vai e vem é apenas mais uma constante
Das constantes do nosso dia-a-dia.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria

Capítulo 081

‎”Hoje a lua voltou a sorrir, mas você já não está ao meu lado para celebrar.

Comprei lírios pra tentar curar a falta de ar que você deixou ao sair pra não voltar.
Tirei dois copos d’água e uma folha de louro da lentilha do dia 31 de dezembro pra não sobrar.
Quebrei sua caneca preferida do Flamengo para não me fazer lembrar.

De tudo aquilo que passamos juntos e você deixou pra trás, sem explicar.”

– texto feito em homenagem a mulher que, há 6 meses, me vende flores toda semana e o marido saiu de casa, no dia de ano novo, sem nem ao menos acenar.

1 comentário

Arquivado em Sem-categoria